O que é o Consciência Social?

É um blogue que convida todos à aberta discussão de temas relevantes para o desenvolvimento pessoal e de maior consciência social. Encontre temas ligados ao ambiente, práticas ecológicas, soluções de sustentabilidade, espiritualidade, iniciativas sociais e muitas novas ideias! Comenta! Partilha!

terça-feira, outubro 07, 2008

PARAR. PARA PORTUGAL AVANÇAR.

9 Outubro | 12h | Estação de metro da Trindade


Em véspera de votação, na Assembleia da República, do projecto de lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, o Porto vai parar para dizer que Portugal tem de avançar e deixar de consagrar, no código civil, a discriminação em função da orientação sexual.



Dia 9 de Outubro, quinta-feira, todas/os à estação de metro da Trindade, às 12h!

Traz uma folha com a frase "ACESSO AO CASAMENTO CIVIL".



Chega um pouco mais cedo e age naturalmente, como se fosses um/a mero/a utente à espera do metro. O objectivo é que estejamos todos/as dispersos/as e não em multidão.



Quando forem exactamente 12h, segura a tua folha. És uma estátua. Não fales nem te mexas. O importante é a tua mensagem.



Passados 2 minutos em que estás completamente estático/a, guarda a tua folha e retoma o teu percurso.



TU SEGUES. A MENSAGEM FICA. PORTUGAL AVANÇA.

Tens dúvidas? Consulta este vídeo. A única diferença é que terás, na mão, a folha onde está escrito "Acesso ao casamento civil".


Por um país mais decente que não discrimine parte da sua população, PARAR. PARA PORTUGAL AVANÇAR!

Aparece. Divulga!

7 comentários:

Paulo disse...

Sarinha nao quero ser mauzinho com este ponto de vista! ***

Sinceramente (nao quero criticar) mas numa altura em que há crise de empregos, da economia, do ambiente, etc, estarmo-nos a preocupar e manifestar a favor do casamento entre homosexuais é algo que acho terceira ou quarta prioridade.

Nao tenho nada contra contratos civis entre homosexuais mas nao seria mais importante nesta altura reivendicarmos mais condicoes de trabalho ou outros assuntos como a destruicao da natureza, poluicao, etc. Em Portugal nao há garantias de empregos para os jovens, garantias de bom sistema de saude como nos outros países europeus, e há graves problemas de seguranca nas cidades. E há ainda graves problemas ambientais, mudancas climáticas, pobreza...

E ainda por cima os casais hoje em dia (hetero ou homo) já nem se casam portanto pra que uma pessoa preocupar com isso? E pelo menos os amigos homosexuais que tenho tb nao se parecem preocupar muito com esta questao...

Paulo disse...

De qualquer modo sou inteiramente a favor da igualdade de oportunidades para os homosexuais e da sua total nao-descriminacao!

cuscavel disse...

Amanhã lá estaremos, Sara? :)
Paulo, quem define as prioridades que fala? Todas as vidas são prioritárias, a meu ver. E porque considera que uma reivindicação de direitos anula outra? Em que é que fazer uma manifestação pelo acesso ao casamento retira força ou valor a outras reivindicações? Este é o momento em que o projecto de lei vai ser debatido (e há muito que há manifestações pelo acesso ao casamento). Será que alguma vez se irá considerar que esta é uma questão prioritária? Será que se deve esperar pelo momento em que tudo o resto esteja "resolvido"? Parece-me tarefa impossível. Haverá sempre outras mil e uma razões que se consideram mais urgentes; pena que sejam considerações de quem, obviamente, não é alvo da discriminação.

Paulo disse...

Vá, cuscavel, o projecto vai ser quase de certeza aprovado.

Vais ver que quem se sente descriminado não vai ter mais motivos para o sentir, pelo menos legais.

O casal que queira casar daqui a uns meses (homem/mulher, mulher/mulher ou homem/homem), poderá ir ao registo civil e fazê-lo. E pronto, será assunto consumado.

E se não fosse pedir muito, gostava que o grupo, uma vez com a sua questão resolvida, fizesse força do seu activismo para defender outras causas globais como a erradicação da pobreza, questões ambientais, paz... às quais milhões de pessoas são afectadas

Paulo disse...

Como eu costumo dizer, Paz e Amor (seja de que maneira for desde que não prejudique ninguém) é o que se quer!!

Paulo disse...

Bem, infelizmente a lei foi chumbada. Desta se vê que o PS é conservador demais para aprovar a lei...
Talvez o que seja preciso hoje em dia é uns verdadeiros anos sessenta. E para tudo, digo-o.

O que eu também achava engraçado era que os homosexuais fizessem então uma manifestação e se casassem simbolicamente em massa em frente a são bento. Talvez umas coisas do estilo São Francisco Califórnia agitem a mentalidade deste país!

cuscavel disse...

Paulo, o tom paternalista era escusado ;)
Por acaso, foi feita uma manifestação em que um casal de lésbicas e um de gays simulava o casamento. Com arroz e tudo. Basta ver o Público ou a RTP.
Fico contente que existas para nos dizeres quais são os problemas aos quais nos devamos dedicar - passe a ironia.
É que dizer que outros problemas sociais são descartados quando se aborda um tema especifico é... simplesmente não fazer a mínima ideia sobre as acções das associações. Basta dar uma vista de olhos pelo site da umar (www.umarfeminismos.org), por exemplo. As discriminações estão entrelaçadas e mesmo que um tema tenha mais visibilidade que outro, as variáveis estão presentes (pobreza, ambiente, violência, etc.). Ninguém pede às associações pela prevenção do cancro do cólon que façam acções sobre feminismos. Era bom, claro, mas há assuntos aos quais uns e umas se dedicam mais. Espero que essa tua preocupação seja extensível às tais associações de prevenção do cancro. Já lhes disseste que é importante fazerem acções sobre ecologia?
E quanto à discriminação terminar com a igualdade legal, é claro que isso não iria nem irá acontecer. Mas uma coisa é certa: irá diminuir.